Meu Diário
22/08/2018 15h24
Mas, ele não trouxe?

Bia, em pé,  Priscila e Gisele, sentadas.

Cala a boca....!!!!

Logo após o almoço, recebi uma ligação do Giovanni Maria Fornaroli, meu amigo e vizinho em frente à nossa casa na 1600. Mora em Milano, na Itália, pedindo se eu pudesse dar um pulinho no LIAC, Laboratório Itapoá de Análises Clinicas que fica aqui na esquina, próximo às nossas casas. Sem problema, será um prazer, lhe disse. Por volta das 15h15 fui até ao Laboratório. Lá chegando, a Gisele estava ao telefone com um paciente, provavelmente falando sobre se os exames estavam prontos, ou algo do tipo, e falei diretamente com a Bia. Ao me dirigir para próximo de onde ficam os exames prontos, num pequeno arquivo alfanumérico, a porta que dá acesso ao laboratório propriamente dito, estava aberta e pude ver a Priscila, a quem também cumprimentei. A Bia pegou o exame do Giovanni e me passou, perguntando pelo sobrenome, ao qual confirmei. Pronto, tudo parecia resolvido. Ao invés de sair, fiquei do lado oposto ao da Priscila, fotografando o exame para encaminhar pelo WhatsApp para o Giovanni, a Priscila não escutou mais minha voz e saiu ligeira da sala e mesmo antes de apontar na porta da sala de recepção, gritou, - Ele não deixou a chipa?

Olha a carinha de "um olho no peixe outro no gato".

Noooosa, a Gisele em ato contínuo e sem raciocinar que estava ao telefone, gritou - Cala a boca! O seu Luiz ainda está aqui. O Paciente do outro lado da linha deve ter achado que a Gisele estava gritando com ele, no que ela pediu milhões de desculpas e todos rindo muito, não sabiam se riam da gafe da Priscila ou do Cala a Boca da Gisele para o paciente.

Só porque a chipa ainda estava NO FORNO.


Publicado por LuizcomZ em 22/08/2018 às 15h24
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
15/08/2018 19h21
JAMERSON

Surpresaaa, aniversário do JAM

... eu bem que desconfiei. O vídeo!

JÉSSICA e JAM casaram-se em março próximo passado aqui mesmo, no Rancho do Raúl. Usando de bom gosto, depositaram suas juras diante de uma das inúmeras obras do divino criador, o mar; como cenário para o dia de uma nova etapa em suas vidas. Itapoá tem muitos recantos de beleza e encantos naturais, mas, o Rancho do Raúl, vamos combinar, é outra cêpa.

Jéssica resolveu surpreender o marido com uma festa para o dia do seu aniversário. Reuniu amigos e parentes, contratou um buffet para decoração e caprichou na temática.  Os Simpson. O sempre e atualíssimo Homer, Bart, Marge e Lisa. O jantar é a já tradicionalíssima alcatra na brasa com antepastos e guarnições de costume e preparados pela Iara

A thurma seleta de amigos divertiram-se com a brincadeira e, agora é sujar os bigodes e limpar o batom com a bisteca à moda da casa.

 

 


Publicado por LuizcomZ em 15/08/2018 às 19h21
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
09/08/2018 07h57
O Sol


Se não fosse por ele, haveria alguém reclamando sua ausência, sendo ele, ha sempre quem reclame do calor. Aí você entende a última frase de Jesus... Pai, perdoa, eles não sabem o que fazem!


Publicado por LuizcomZ em 09/08/2018 às 07h57
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
27/07/2018 11h31
Hora do Chimarrão

Cunha e Lusmarina

Esta manhã, 27 de Julho, estive na casa dos amigos, Cunha e Lusmarina. O mate quente estava pronto e a conversa foi boa. Cunha detalhou todo o problema vivido pelos caminhoneiros na questão do frete mínimo. É lamentável a situação, haja vista, o governo não ter pulso para fazer frente ao lobby do agronegócio, fato que desestabiliza as negociações. Hoje o caminhoneiro paga para trabalhar. No caso de precisar manter o veículo, fazendo todas as revisões e atendendo às mínimas questões que a lei obriga, ele precisa se dispor de bens como um terreno, um carro pequeno, moto, ou até mesmo uma casa que tenha como renda de aluguel para sua manutenção. O quilometro rodado, por eixo, é de R$ 0,41. A proposta do governo para que o agronegócio aceite e se comprometa a pagar, é de R$ 0,81; o valor que a categoria precisa para poder ter um mínimo de lucro, teria que ser de R$ 1,60. Já foi feito uma planilha de custo de todos os itens para se chegar a esse frete mínimo, no entanto, o governo não dá andamento nas negociações, justamente por não querer entrar no "desconforto" de um entrave com o setor de agronegócio, que tem uma bancada forte no congresso. Vemos aqui, como em outros segmentos, que os políticos são de fato profissionais, se candidatam com o propósito de defenderem seus interesses e não o da população que os elegem.

Agora em outubro é hora de darmos uma resposta nas urnas em todo o páis, retirar das mãos desses  meliantes a caneta que cria leis que os beneficiem, leis que atendem justamente quem não as cumprem.


Publicado por LuizcomZ em 27/07/2018 às 11h31
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
19/07/2018 06h59
Meu Amigo Antunes

Cumpriu seu Tempo...

 

Amigo de boa data, pouca, porém, intensa.

Nos reuniamos quase que diaramente para 

Tomar o café na Panificadora Maykon. 

Uma criatura de humor refinado, sempre zoando e 

Nunca deixou de trazer alguma piada na manga.

Estava sempre pronto a dar respostas com duplo sentido,

Sem ofender, com graça e oportunismo.

Lourival era seu nome de batismo, 

Omitia em favor ao nome de guerra, Lourival. Por sinal, com

Uniforme do Batalhão de Pacificadores da ONU,

Realizou missão de paz no Canal do Suez.

Inquieto por excelência, enxegava o longe, perto.

Viajado e conhecedor de muitas culturas,

Alertava para todos os assuntos e sempre tinha uma resposta.

Levou consigo boas influências; mesmo sem o pai, cresceu de

 

Bem com a vida, sem resquícios da infância.

Espiritualizado e ciente de que era um 

Viajante de passagem por 

Estas bandas da galáxia,

Nunca deixou de crer no Ser

Unico e Criador de tudo quanto há no universo.

Teimoso, é verdade, mas a 

Teimosia era pelo justo, por um

Ideal e pelo certo.

 

Desdenhou da própria sorte, não pararia de fumar, pois,

Esteve com o vício a maior parte do tempo em vida;

 

Ontem, hoje, e, se tivesse que parar agora, seria hipocrisia.

Levou a vida como entendeu que devia, fez tudo o que achou

Importante fazer e as coisas mais simples também.

Vendia saúde para quem não sabia de suas dores.

Estivemos algumas boas horas conversando, na padaria ou

Instalado entre os gatos de criação, 

Raras vezes ouvi reclamar da sua condição;

Alma tranquila, olhar percrustador, partiu sereno e confiante.

 

 


Publicado por LuizcomZ em 19/07/2018 às 06h59
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 7 de 56 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]