Textos




O dia começou cedo.
Tenho ouvido muitas coisas e me prometido mais ainda.
Hoje entendo que o impossível sou eu.
Eu sou impossibilitado por minha própria opção.
São as escolhas que tenho feito que tornam minha vitória
impossível. Basta um exemplo, não é necessário imaginar algo tão grandioso. Basta ver a dificuldade que temos ao estabelecer uma meta tão simples como caminhar todos os dias pela manhã; organizar o quarto de dispensa e bagulhos; organizar o tempo para evitar atrasos e correrias desnecessárias; coisas aparentemente simples e que são simples, pois está em nossas mãos e alcance.
Então, por quê não conseguimos realiza-las?
Porque as transformamos em escolhas. Escolhemos outra
opção, outra saída. E todas passam pelo "amanhã". Amanhã eu faço, amanhã eu começo, amanhã eu vou, amanhã,
amanhã, amanhã. Como se o amanhã existisse. Não há
amanhã. Faça o teste você. Hoje, 22:58, portanto, agora são quase onze horas da noite, me arrumo para dormir e acordar logo cedo. Acordo às 06:15 da manhã.
Que dia é hoje? Hoje é hoje. Dia tal.
A resposta nunca será: - Hoje, é amanhã!
Quando eu entender que o amanhã ainda não me pertence, o ontem me pertenceu e o hoje é para ser construído, deixa de ser impossível e passa a ser minha única opção.
A única opção. O hoje é nossa única opção de fazer algo, de
criar, mudar, redirecionar, tornar algo novo, criar uma nova
forma de fazer e ser.
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 30/09/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários