Textos


Um Louvor à Natureza

Vez por outra vejo pessoas nesta parte da praia. Ficam ali observando cada qual a sua maneira.

Louvor de Lucas  à beira mar.

Já vi e conversei com muitos.
Outros nem querem conversa, ficam curtindo o "seu barato", que na minha opinião pode sair caro, mas cada um na sua.
Muitos, pasmem, reclamam do barulho das ondas, que são incômodas. Outros estão tão acostumados que não percebem mais seu murmúrio e o vai e vem das ondas.
Não me canso de reconhecer a grandeza do criador em ornamentar o imenso paraíso com a maravilha que são os oceanos. É na hora do almoço que o Lucas vem à praia para observar a exuberância da natureza de Deus.
Mora em Itapoá há sete anos. Aqui fincou raízes que se alastraram ainda mais quando, há dois anos uniu-se a Amanda, que conheceu numa balada e que com o passar dos dias, ambos se converteram e na Igreja Batista Renovada encontraram um propósito único, de servir à Deus e criarem um novo caminho juntos.
Paranaense de Dois Vizinhos, antes de fixar residência por aqui morou em Balneário Camboriú, segundo ele, um período um tanto cigano. Sua fixação pelo mar veio quando sentiu que precisava agradecer a Deus a sua refeição, já que agora ele tem que almoçar e trazer sua marmita de casa, o escritório fecha nesse horário e ir em casa fica dispendioso e na contra mão, foi então que sentiu que Deus falou com ele, Deus lhe disse que não era para agradecer só pela refeição, que havia tantas outras coisas e principalmente  as pequenas e simples.
Entendeu a partir disso é resolveu que era preciso agradecer direito.
Trouxe o violão para o escritório e entoa louvores de agradecimentos nos horários de almoço à beira mar. 
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 27/06/2018
Alterado em 04/07/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários