Textos


De Tudo Que Eu Sei... #13

O termo usual que nós do Ocidente criamos para
designar aquele ou aquilo que criou e continua a criar
tudo o que há, Deus, é limitado para expressar o
verdadeiro significado de sua existência, do que
representa sua personificação, enfim, nossa maneira
de ver e defini-Lo.
O mundo, tal qual conhecermos, é uma representação
do que nossa mente reproduz. Nada é sólido, tudo são
partículas, inúmeros elementos que se agregam e
desagregam aos nossos sentidos e olhos.
Como perceber esse 'Deus' criado por nós, oferecido
pelos nossos antepassados, que, como nós hoje, o
entendiam à sua maneira? Não poderemos perceber tal
significado sem nos desvencilhar de formas, dogmas e
tradições encrustradas desde sempre.
Não adianta olharmos para o céu, a não ser para
admirar a grandeza do Creador, esse Deus habita
nosso interior, é voltando para dentro, para o Centro
de nosso universo que o encontraremos.
Não é físico. Transcende à matéria, vai além do que
nossos olhos físicos podem perceber.
Somente quando estivermos puros e livres de toda
iniquidade poderemos aspirar à porta do 'céu'.
Esquecer, é a maneira de abrir espaço para a nova
maneira de perceber de fato o Reino Divino, a Morada
do Sol radiante e constante, a sublime verdade.
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 12/09/2019
Alterado em 25/09/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários