Meu Diário
25/03/2017 22h40
Um Sábado Diferente

Resumo do sábado...

6:30 - Acordei

7:08 Levantei

7:15 Início da limpeza do quintal, varrer todas as folhas, parreira de Primavera, Pitanga, Limoeiro e Sete Copas (Sombreiro).

8:00 Água no fogo para o café. Acompanhado de ovo mexido com bacon e queijo mussarela. Uma xícara de café com leite ninho.

8:16 Café tomado ouvindo a palestra de Anete Guimaraes, 1h14m. Tema, A Ciência do Mal. Recomendo, no https://youtu.be/bU7cZL-sdvw 

9:35 Papelaria Central com Djavan

9:48 Na Caixa Econômica Federal

10:05 Banco do Brasil

10:19 Panificadora Maikon. Michele ficou brava porque não a cumprimentei. Veja a importância de se portar coerentemente sempre. Já pedi desculpas. Ela deveria estar brincando, mas, mesmo acreditando nisso, toda brincadeira tem um fundo de verdade. Tomarei mais cuidado. Compras feitas, um café pequeno do bule, para não perder a oportunidade e manter o costume.

10:23 Em casa. Já sentia um pouco o desgaste pela falta do Fludrocortisona, hormônio http://portal.anvisa.gov.br/noticias/-/asset_publisher/FXrpx9qY7FbU/content/fludrocortisona-para-doenca-de-addison-em-falta/219201/pop_up?inheritRedirect=false indicado para casos de insuficiência adrenocortical (Doença de Addison) primária e secundária e para o tratamento da síndrome adrenogenital de perda de sal. Meu caso.

11:00 Auge da abstinência. Aqui acabam as forças, o interesse, o humor e a paciência. Melhor ficar quieto e longe de todos. Menos contato, menos distrato.

12:00 Mendel pediu para comprar carne para um churrasco. De volta para a rua. Agora com o ouvido zunindo, o batimento cardíaco disparado, a pressão alterada e o cansaço ampliado.

13:55 Chegaram duas colegas do Mendel e que também vieram de Porto Velho, são médicas e moram em Joinville. Trouxeram o Luck, um cachorrinho pequeno, Yorkshire Terrier, brincando com a Kyra, uma PitBull América, ela não late, mas ele, latiu um tanto. Com o ouvido ampliando o som, ficou um tanto mais complicado. Mas, isso não é culpa do pequeno Luck e muito menos das meninas, a Stéphani e a Flávia. O problema é comigo. Tudo bem.

14:50 Almocei. Carne, arroz integral e mandioca.

15:29 Subi, deixei o ar ligado enquanto tomei um banho. Em seguida, deitei.

19:19 Acordei. Sai para assistir uma luta de box, disputa pela defesa do título mundial da categoria, pelo canal fechado. Em seguida, à Globo New, o programa de Renata Lo Pret, Entrevista. Nessa pauta, Fernando Henrique Cardoso. Excelente, como sempre.

21:12 Assisti à novela das 9 juntamente com a Rose. Em seguida, vim para o computador.

22;30 Comecei a revisar o blog. Pensei em fazer um novo texto, sobre a situação atual das propostas sobre a Reforma da Previdência. Optei pelo diário.


Publicado por LuizcomZ em 25/03/2017 às 22h40
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
22/03/2017 18h10
Felipe

Nem tudo é o que parece

Há 17 anos, quando trabalhava numa creche, ela como todas as voluntárias, viam no menino Felipe, com dois anos na época, pouca chance de vingar. Não acreditavam que uma criança com as suas características pudesse chegar à infância, adolescência e muito menos à idade adulta.

Quando a mãe do Felipe vinha buscá-lo, sempre em companhia do irmão mais velho, ela tinha sempre a esperança, a certeza mesmo de que o filho seria uma criança normal. Chegou a ser confundido com um excepcional, alguém que dependeria de cuidados enquanto vivesse. Não prestava atenção à sua volta, as reações eram retardadas, quando lhe serviam comida, cuspia fora e ficava babando o tempo todo. Imagens que acabavam por causar repugna nos que eventualmente lhe estava à volta.

Era impossível não fazer as comparações entre os irmãos. O mais velho, corado, forte, independente e bonito, era o oposto dele. Os anos passaram e as coisas não seguiram o rumo que se esperava. Hoje com 19 anos, Felipe é forte, bonito e tem uma vida social intensa. Não tem vício de espécie alguma, vive de bem com a vida e é exatamente como a mãe idealizou.

O irmão mais velho, bem, sempre com problemas, bebidas, drogas, sempre envolvido em confusões. Em uma de suas fugas na bebida, encontrou um caminhão pelo caminho, morreu atropelado aos 22 anos.

Na vida, nem tudo é o que parece.


Publicado por LuizcomZ em 22/03/2017 às 18h10
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
21/03/2017 12h36
Yasmin, com 'n' no final

Y A S M I N

Ela tem 9 anos e já sabe cozinhar, faz maionese, sabe fazer bolo e também café. Tem segurança no que fala e sabe muito bem conduzir um diálogo. Está cursando a quarta série e vai sozinha para escola. Ontem a Yasmin estava na Panificadora Maykon, veio acompanhar a mãe, Cristiane que trabalha como atendente, como ainda era muito cedo, aguardava o ônibus para seguir caminho. Conversamos um tanto, enquanto isso, foi falando das suas preferências, e contou ainda que o pai, Conrrado, estaria indo para São Paulo, numa reunião ou treinamento do trabalho.

Yasmin seria uma menina comum e igual às demais de sua idade, não fosse pela destreza e simpatia, o que ainda facilitará em muito sua vida futura. Tem nos olhos a vivacidade da boa ambição, das conquistas a serem realizadas, tudo isso fica ainda mais evidente quando fala dos pais. A importância de uma família bem constituída e com princípios firmes e propósitos na Boa Nova, o amor pelos pais é marcante.

Bom ter conhecido você, Yasmin com 'n' no final.


Publicado por LuizcomZ em 21/03/2017 às 12h36
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
11/03/2017 17h25
11 de Março - Deposteron

 

Hoje é dia de tomar mais uma dose do Hormônio Testosterona.

Mais um que não produzo, aliás, não produzo nem hum deles. Falência Adrenal Total, enfatizando o mais possível. Meu humor hoje está péssimo, pouco brilho e fadiga exagerada.

Para complementar o quadro, o zumbido no ouvido, 24 horas por dia, 365 dias por ano, só aumenta nesses dias. A pressão, 165 X111.

E o mar está subindo.

 


Publicado por LuizcomZ em 11/03/2017 às 17h25
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
 
09/03/2017 23h15
Conversando com um Político

Bate papo informal...

Dia desses, em uma escala num aeroporto, me deparei ao lado de um político conhecido e atuante nos embates entre eles no plenário. Note bem, eu disse 'entre eles'. Portanto, trata-se daqueles políticos que estão mais preocupados em aparecer do que fazer. Mesmo que para aparecerem, se metem em bate bocas intermináveis discutindo o próprio ego. Não resisti e cumprimentei-o, apresentei-me e disse que o tinha visto naquela semana comentando tal assunto e que o vi no Jornal da Globo, com William Waac, no que ele confirmou.

Perguntei então, porque aumentar o tempo para aposentadoria dos trabalhadores brasileiros de 55 para 65 anos, e antes mesmo dele responder, passei a liberar meus pensamentos e sem perceber, destilei uma saraivada de comentários a respeito do tal projeto de lei, pec ou coisa que o valha. Disse a ele que em verdade, não há o mínimo compromisso com a população, que não existe sequer um mínimo de consideração com quem de fato trabalha de sol a sol e em condições insalubres e com salários humilhantes. Ao que ele me dizia em poucas palavras, 'não haver condições de recuperar a economia do país sem que toda a população colaborasse com o ajuste em prol da melhoria de vida do Brasil'. Isso mesmo, eles roubam e nós 'colaboramos com a recuperação do Brasil'. Simples assim. Perguntei então, se após o banho, tinha o hábito de secar o box com o rodo? Me olhou espantado. Sabe de uma coisa senador, toda vez que um fio de cabelo cai no piso do seu box enquanto toma seu banho, esse insignificante fio se junta aos demais, um após outro vão se agrupando e formando um bolo, como um novelo. Até que um dia, a água não passa mais pelo ralo como passava antes. Então, hora de chamar o encarregado hidráulico do seu condomínio. Essas manobras, artimanhas usadas para tampar um rombo nas contas públicas, assim como um fio de cabelo, uma hora vai entupir a paciência da população. Essa pacata população vai se cansar de fato. Uma parte ou toda ela, deixará de produzir, de pagar impostos, de respeitar leis criadas por vocês, e passará a remar contra 'essa maré'. Eu e o senhor provavelmente não estaremos aqui quando isso acontecer. Mas, seu netos ou bisnetos, esses estarão. E quando eles estudarem para entender porque um país tão grande, praticamente continental, com tantas riquezas, climas diversificados, terra de qualidades variadas em variados estados e regiões, com uma população que sempre esteve disposta a acreditar que tudo pode dar certo, ainda que sejam pacatos e aceitem calados esses desatinos, então, a respostas que seus netos ou bisnetos terão será, que todos os 'fios de cabelos que entupiram o progresso e a felicidade desse povo e dos netos e bisnetos', terá caído ou saído da cabeça de vocês que hoje ocupam cargos no Legislativo, Executivo e Judiciário. Políticos! Porque os nossos juízes, são todos políticos também. Uma hora, essa bacia vai transbordar. Haverá o dia em que, assim como os grandes momentos de revolta e correção popular da história, chegará a vez do nosso Brasil passar a limpo esta situação degradante que vivemos. Ano após ano, eleição após eleição, cada vez menos político corrupto será eleito. É preciso que eu, você e todos com um mínimo de bom senso, vire as costas para o câncer que infesta o congresso deixando de votar se preciso for, mas não dando mais banana para macaco guardar, ou voto para político ladrão e corrupto. O vídeo abaixo ilustra o nível de representante(!) que está com sua aposentadoria milionária, seguida de inúmeros benefícios vitalícios e ainda se diz um paladino da democracia e bons costumes. Todos vocês são responsáveis por cada bebê que morre à míngua nos corredores dos hospitais públicos, dos idosos que morrem nas madrugadas frias em filas de postos de saúde à procura de remédios controlados ou de uso contínuos que nunca chegam, pois a verba é dividida em noitadas de conchavos regadas a bebidas importadas e garotas de programas pagas, inclusive com cartões de créditos corporativos dos respectivos gabinetes. Cada uma dessas mortes, acreditem, será debitada em suas contas, costas se preferirem. Bem, tão logo anunciaram os nossos voos, ele se despediu com um levantar de sobrancelhas e sai em direção ao portão de embarque. Simples assim. Como se nada do que ouviu, se ouviu, lhe causasse qualquer constrangimento.


Publicado por LuizcomZ em 09/03/2017 às 23h15
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.



Página 8 de 45 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]