Textos


Hyoko, a sortuda!

Para contar esta história, é preciso voltar ao país do sol
nascente, o mítico e antigo Japão. Há uma lenda milenar
que traduz uma mensagem de fraternidade e amizade,
mas principalmente uma lição de solidariedade e
benevolência. Segundo a lenda, havia um pássaro que nascia
apenas com uma asa, e sua luta na tentativa de tornar-se um
igual aos seus, começava logo cedo. Tentativas inúmeras de
alçar vôo eram empreendidas sem resultado. Com o passar
dos anos, mais maduro, o pássaro entendeu que a única
maneira era buscar um outro que lhe assemelhasse. Nessa
busca, fica a lição de que trata o texto.

Jacinta em seu triciclo com Hyoko, sua companhia de longos
oito anos de perfeita convivência. Aqui, próxima à praia,
Hyoko fica agoniada para correr para o mar. O começo dessa
amizade no entanto, vem de um triste e doloroso instante,
Jacinta encontrou a Poodle atropelada e com a perna
fraturada, resolveu levá-la a um conhecido, um veterinário.
Lá ficou por algumas semanas, quando o profissional ligou
avisando que tinha um presente para ela, a cachorrinha está
curada e bem cuidada, porém, a perna dianteira direita havia
sido amputada por inteira. Isso não era problema para Jacinta,
a benevolência enxerga o belo, não põe olhar no roto.
E assim nasceu essa bela amizade.

Mais do que uma amiga, ganhou o carinho do Estefano (foto)
e das filhas Nathana, veterinária, Marceli, professora, Noely,
bióloga, uma família inteira;

Hoje vive assim, alegre e à vontade. O gesto dessa 
família em
proporcionar a ela casa, família, carinho, faz com que nossas
esperanças em solidariedade e amizade sejam renovadas e
enaltecidas.


Vídeo Hyoko
https://youtu.be/d8xHesNHwfU
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 28/08/2016
Alterado em 28/08/2016
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários