Textos


Então vem a pergunta que não quer calar!

A Culpa é da Globo?

Ou talvez da Band, ou SBT, Record, enfim, dos tais canais de youtubers patrocinados pelo governo ou Ongs. A novela da Globo da escritora Glória Peres, A Força do Querer, vem sendo apontada como uma aula de fazer o que não se deve fazer. Ali se ensina como roubar, como esconder que é viciada em jogos, como evoluir no tráfico, como mentir e forjar uma gravidez falsa, como invadir a privacidade de uma família e destruí-la, e, por fim, como trocar de sexo e engravidar como homem. É pouco? E de quem é a culpa?
Certamente não é da novelista, muito menos das redes de tevês. Você é o culpado! Sim, você que está lendo e eu que estou escrevendo somos os culpados por tudo o que está acontecendo. Você pode até dizer que não faz ou não fará novamente uma escolha inconsequente, mas 2018 está ai. Há menos de 1 ano iremos como cordeirinhos em fila escolher os próximos deputados federais,
senadores e presidente. Somos nós que escolhemos quem faz e
desfaz as leis, inclusive quem as deturpam e rasgam a constituição, a
tal Carta Magna, aqui uma menção honrosa à Lewandowiski.
Nossos votos é que dão a esses senhores, me desculpem os senhores de caráter, mas são eles, eleitos por nós que criam leis que os favoreçam e não ao povo. Se hoje é permitido em nome da "arte" exibir uma garotinha com a anuência da própria mãe, a tocar num homem nu, que ela nunca viu mais gordo, e pela maneira como se aproximou, percebe-se que não estava muito confiante e segura do ato, essa liberdade, ou devo dizer liberalidade, vem de onde? De quem faz as leis.
Embora houvesse um cartaz dizendo que a exposição tratava-se do que se viu, isso não significa dizer que devo (Rm 7:19-25) levar uma criança, mesmos assumindo eu como pai, mãe, a suposta vontade da menor, até porque, ela não sabe o que está acontecendo e no que está se envolvendo. Não tem discernimento para tal, ou seja, exposição de nu frontal. E tendo tanta coisa para se mostrar... Uns gostam dos olhos, outros da remela. Voltando à questão da culpa.
A Globo, como as demais emissoras, estão ai para nos mostrar
o que acontece, vivem da notícia (Mt.18).
Não significa que os apresentadores concordem com tudo o que se
apresenta. A função do jornalista é a mesma da sua em seu trabalho,
cumprir ordens e seguir o cronograma da faina diária.
Não pense você que a Sandra Annenberg, Giuliana Morrone, Maria
Júlia Coutinho, Monalisa Perrone, Paloma Tocci, Adriana Araújo,
Rachel Sheherazade
, entre outras, estão despreocupadas ou dando de ombros para o que recebem nas pautas e apresentam.
São mulheres, e provavelmente, mães. Somos nós que elegemos aqueles ratos, bandidos, pedófilos, imorais, ladrões, assassinos, delinquentes e caras de pau que se dizem ‘representantes’ do povo. Legislam em causa própria.
Antes, quero dizer que esses adjetivos não se aplicam a todos os
parlamentares. Penso que uma minoria, porém, significativa,
deteriora o congresso e as instituições. Portanto, o que a Glória
Peres mostra na novela não é nem a quinta parte do que de fato
a contece no dia a dia da maioria das pessoas que vivem no nosso
brasil, com B minúsculo. Para nós que temos acesso a três refeições,
isso o mínimo, por dia, tv a cabo, assinatura de revistas, moramos
em condomínio fechado com guarita e câmeras de segurança, carros
blindados, guarda costas, temos uma conta no banco que cai no final de cada mês sem erro nem medo o salário, o décimo terceiro
antecipado, o PIS o PASEP, vamos às compras e passamos o cartão
sem olhar o final do ticket, afinal, estamos de olho na tela do iPhone. Para nós, do Brasil com B maiúsculo, resta achar um culpado ao invés de assumir nossas escolhas mal feitas.
Não gosta da novela?, mude de canal; não gosta da notícia?, mude o
canal; o controle, pelo menos esse, está a seu alcance.
Então, ainda acha que a culpa é da Globo?




Imagem: do site tudoparahomens.com.br google imagens
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 13/10/2017
Alterado em 17/10/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("Você deve citar a autoria de Luiz Antonio de Campos e o site www.luizcomz.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários