Textos


TEMPO... Tempo... Tempo...



Com certeza alguém já te acordou no melhor do sono, te ligou no dia de folga, na maior preguiça você atende. Sempre vem com uma 'coisa' importante para dizer, aquilo que não dá pra segurar e tem que ser naquela hora. Maiores ou menores, complicados, simples, esquisitos, enrolados, difíceis, tristes, vergonhosos, banais, não importa, todos temos em algum momento um grande problema para dividir com alguém.

Seguinte...
Há dias que a gente sente
que não tem espaço,
que só tem aço
e a vida
está um bagaço.
Tem sempre um amigo
que aparece
com um papo que
parece prece.
Sem mais nem menos
você ouve
e cresce.
Sente, vê, entra no meio do aço e
encontra seu espaço.
Para isso é preciso muita força,
força de um remador,
pode ser um estivador,
mas de nada valerá
se você não tiver a garra,
a vontade,
a persistência,
a inteligência...
De onde ela vem?
Exata mente... da cabeça.
exatamente! É ai que reside a
verdadeira força.
O grande braço.
Do contrário, um abraço.
Não se dê por vencido, não se entregue
ao primeiro gole, trago amargo.
Tempestade sempre existiu!
O sol também,
e com maior intensidade.
Viva e dê vida ao viço
que trás consigo.
Todos temos um pouco
de Gandhi e Pilatos.
Encontre o ponto de equilíbrio.
Uma certeza há.
Enquanto estiver buscando,
vai sentir-se ocupado, importante,
mais sensível e partilhar
novas experiências.
A imaginação é tão fértil quanto excitante.
Veja o lado bom, o lucro, a experiência adquirida.
Mesmo em toda perda existem vitórias.
Nunca são só feridas.
Caso você ainda não se convenceu
do valor da vida, das coisas boas que
pode usufruir,
então não perca seu tempo
lendo isto ou aquilo, ligando logo cedo,
Vá se danar e não
encha o meu saco.
Me deixe descansar,
dormir, acordar.
Dá um tempo!

*escrito em 31 de agosto 1982
LuizcomZ
Enviado por LuizcomZ em 16/05/2008
Alterado em 23/06/2015
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários