Meu Diário
26/04/2020 00h14
Capitão ou Juiz

 

Texto

PR X ex-MJ
A propósito do acontecimento recente em relação ao PR e o agora ex-MJ, tenho, por força do hábito, me posicionar sobre tal ocorrido. Fico como sempre quieto por dois ou três dias, às vezes, mais. Penso que isso evita falar demais ou de menos. Lembro-me de quando ouvi pela primeira vez a respeito do átomo, o professor falou em sala de aula que um átomo continha três elementos, e que na cabeça de um alfinete cabiam milhões de átomos, tal eram estes, ínfimos. Os anos se passaram e sabemos hoje que não são apenas três elementos, mas até onde sei, passam de 72 (corrijam-me por favor) . Então, era um mentiroso o professor? Evidentemente que não. O que aconteceu, então? O tempo se mostrou mais eloquente. Verdades ainda não descobertas vieram à luz. Nesse caso, sobretudo em se tratando de política, e alguns políticos, nem todos, tenho me reservado a antecipar qualquer juízo. Mas, preciso expor minha opinião, ainda que não seja do interesse de ninguém. Quero antes dizer que não votei no juiz, votei no capitão. Sempre disse que o homem é difícil. Difícil por ser fácil. É de fácil acesso, fácil contato, fácil entendimento. O que a maioria não quer aceitar é que o homem fala o que todos pensam e engolem, ocultando-se no 'politicamente correto'. Aliás, situação criada justamente pelos radicais e minorias de toda espécie como forma de autodefesa. Quanto ao ex-MJ, 21 anis filiado no PSDB, da para entender porque a familia Neves foi deixada de lado na lava jato. O mesmo não consigo entender em relação à senhora presa, jogada ao chão e algemada em Araraquara-SP, sem que o ex-ministro sequer exbossasse algo em seus "prints". Agora, nunca vi em meus anos como funcionário, um patrão que ficasse quieto quando um funcionário faltasse com o respeito, consideração e lealdade. O ex-ministro deveria ser demitido por justa causa em qualquer empresa onde estivesse. Que se cuidem os próximos patrões. O sujeito é X9. E antes que me esqueça, já disse isso em conversas sobre o episódio do 9 dedos, quando ele vazou informação que impediu o quadrilátero do pt a ser empossado como chefe da casa civil da "estocadoura de ventos". Agiu errado. Porém, eu mesmo disse que o abuso de autoridade fora peli bem maior, evitar que o 171/9 escapasse com o fórum privilegiado. Mas hoje a verdade se mostra de outra maneira. Era pessoal. Não foi pelo Brasil, provavelmente à pedido do chefe maior, o presidente de honra do partido, FHC. E o pior, printou a conversa em pv (privado), da afilhada de casamento. Quem é traíra, trai qualquer um, não importa a relação que se tenha. Como disse, "votei no capitão, porque se fosse para votar no juiz, torceria para o curintia" (piada que permeia as redes sociais)

 

Em tempo: Por onde anda o Ex-Juiz e ex-ministro? Faz parte do passado. 


Publicado por LuizcomZ em 26/04/2020 às 00h14
 
28/10/2019 13h13
Reaprender, sempre.

Sinto-me vencido. Não se pode querer ser acertivo e correto sempre. Me criei nos erros e acertos, sou fruto do dia a dia. Adotei desde sempre, embora não soubesse o que isso significasse, uma atitude complacente, sempre deixei que fizessem cada um de  seu jeito, ao seu tempo. De um enorme quebra-cabeças, três peças foram lapidados com o mesmo cinzel. No entanto, cada uma das peças tomou rumo diferente, o que é natural. Apenas uma peça pede reparo, se volta para o sol em busca de luz, de calor e reconhece todo o trajeto que vem traçando, outras duas seguem por conta. Uma, por auto-suficiência e outra pela falta de. O tratamento é o mesmo. O resultado, oposto. Sei que meu grande equívoco, erro crucial foi ser mais amigo do que conselheiro. Penso que amigos também são importantes e necessários. Agora me cobram pela dureza que deveria ter tido, que não deveria ter deixado de cobrar quando era para cobrar. Uma criatura se volta contra o criador a ponto de querer socá-la, se tranca e se cala. De minha parte, vejo que o tratamento não foi adequado, precisaria ser individual, ponto a ponto. Só consigo ver que me enganei profundamente, errei em dar o mesmo tratamento às três peças. Recomeçar sempre e não esperar nada em troca. A troca significa moeda, é bom lembrar que o que ganhamos de graça deve ser distribuído de graça.

Então, paramos para ouvir. Lembrou-nos de tudo que foi ruim, Menos de todo Esforço feito para educá-lo; nossa obrigação. Resolveu? Não, só piorou.


Publicado por LuizcomZ em 28/10/2019 às 13h13
 
14/10/2019 20h06
VENDE-SE

V E N D E - S E

Fino acabamento, ótima localização, espaço amplo, mesanino com vista para o mar, pintura novíssima e com vizinhança TOP, mas, não se enganem com a placa, o que está sendo vendido é a quantidade de amor, amizade, fraternidade, generosidade e muita criatividade por parte da esposa do proprietário, Carrasco, a Lígia Carrasco. Exímia criadora, ou devo dizer, especialista em uma culinária que é muito conhecida pelos orientais, é o kissoborô, sobretudo em se tratando de bolos e tortas. Numa bela casa só poderia habitar uma bela família. Os Carrascos, de Londrina, Curitiba e sabe-se lá mais onde.

A bem da verdade, sendo vendido é modo de falar, ali tem tudo isso para dar e distribuir. E, de graça!


Publicado por LuizcomZ em 14/10/2019 às 20h06
 



Página 2 de 59 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]